Cursos 24 horas 3
Estrupo

Técnico de enfermagem é preso por estupro e abusos contra 6 mulheres em Campo Grande

Técnico de enfermagem é preso por estupro e abusos contra 6 mulheres em Campo Grande

27/05/2019 18h56Atualizado há 3 meses
Por: Redação, Rodrigo Rodrigues
Fonte: Anahi Zurutuza e Ronie Cruz, Campo Grande News
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Um técnico de enfermagem, de 28 anos, foi preso por estuprar uma adolescente de 14 anos e abusar de outras cinco mulheres em postos de saúde de Campo Grande. Dentre as vítimas, estão acompanhante de paciente, além de uma faxineira e uma médica que atuam na rede municipal de saúde.

A última denúncia contra ele foi feita na quarta-feira (22). Conforme relato da vítima de 14 anos, ela foi até à UPA (Unidade de Pronto Atendimento) da Vila Almeida com a avó para tomar soro e medicação. O técnico de enfermagem pediu que a acompanhante buscasse algo para que a garota comesse e com a porta trancada, obrigou a paciente a fazer sexo oral nele.

Segundo a delegada Anne Karine Trevisan, da Depca (Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente), além da garota de 14 anos, uma adolescente de 16 anos também procurou a polícia.

As outras denúncias são de mulheres com de 18 anos e por isso, os casos serão encaminhados para investigação da Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher).

De acordo com a investigação, as abordagens do profissional são parecidas – vítimas relataram que o homem esfregava o genital nelas e insistia para anotar o número de telefone. A faxineira de um dos postos de saúde onde o técnico está lotado também relatou ser sido trancada numa sala e abusada.

A delegada acredita que o homem possa ter feito mais vítimas e pede que elas procurem a polícia para registrar boletim de ocorrência. Ele tem ficha por tentativa de homicídio, estupro e porte ilegal de arma e responderá pelos crimes de estupro e importunação sexual.

Além da UPA da Vila Almeida, o técnico de enfermagem atuava na UBS (Unidade Básica de Saúde) Dr. Nicolau Fragelli, no Lar do Trabalhador.

A Sesau (Secretaria Municipal de Saúde Pública) informou, por meio da assessoria de imprensa, que também investiga as denúncias e que assim que tomou conhecimento dos casos, afastou o funcionário de suas funções na assistência aos pacientes e suspendeu os plantões eventuais. O servidor foi transferido para o almoxarifado, onde, segundo a secretaria, “não tem contato com o público”.

Nesta manhã, o advogado do técnico de enfermagem, João Armanda Presa da Silv, esteve na Depca e diz que o cliente nega as acusações. “Até o momento, ele está negando veementemente. Ele não fez nada disso e essa vai ser a linha de defesa. Ele nega tudo com muita convicção”.

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários